quinta-feira, 29 de maio de 2008

Em defesa dos antropólogos...

.....É curioso como a maior parte das pessoas vêem a minha formação como uma espécie de doença. Muitas vezes eu ouço, "Você poderia ser menos antropóloga" ou "Não dá para você deixar esse olhar de antropólogo de lado um pouco" ou os mais reticentes, "Você tem um viés de antropóloga bem forte!" Pois é, isso é forte em mim. Hoje que sigo para o Congresso da Associação Brasileira de Antropólogos, resolvi fazer uma homenagem aos antropólogos, compartilhando um trecho do meu diário:
.
"Faz alguns dias me emocionei com uma imagem que tive do ‘ser antropóloga’, foi algo vivido no sono ou no recém-despertar, nada intelectualizado, somente um gesto. Um sentar ‘meio assim’, com os braços abraçando os joelhos, encostada numa árvore, ereta e serena...essa é a postura do antropólogo. Ele é aquele que senta, sem pressa, que ouve, que brinca com as crianças (no meu sonho, aparece uma criançada correndo e rindo à toa, e elas vêm em minha direção e meus braços se abrem para um abraço)...é o antropólogo, alegre de estar ali, longe de casa, no meio da vila cheia de árvores, lutou para estar ali, achando tudo bonito e diferente, imbuído de estar ali, sentindo-se bem. Entre tantas posturas e profissões, meu Deus, há alguma mais delicada do que esta?"
.
(Aos que não tiveram coragem de perguntar ou tempo de procurar no dicionário, a antropologia é a ciência ou a arte que estuda o Homem, no seu coletivo, ao longo dos tempos, em suas diversas manifestações culturais, em geral focando nas mais tradicionais, tais como as sociedades indígenas. Ela se contrapõe à sociologia, que estuda as sociedades modernas e à psicologia, que estuda o indivíduo e o seu psique, sendo que há ainda a psicologia social, que estuda os fenômenos do psique do indivíduo na massa).

2 comentários:

joão áquila disse...

olá! te vi no Retratos Urbanos.
eu tb escrevi lá.

Liniane disse...

Oi Deborah.
Adorei a imagem descrita no seu diário. E obrigada pela definição de antropologia. Há tempos eu me perguntava o porquê dos antropólogos se dedicaram tanto aos índios (em "detrimento", na minha visão ignorante, aos demais grupos).
Vê se aparece lá no Museu. No próximo sábado vamos retomar as aulas "normais".
Beijo e obrigada pela foto.
Liniane